Prédios que abrigam os Fóruns de Osasco e Guarujá são adquiridos pelo TRT-2

Um importante passo em questão de economia de recursos públicos foi dado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região. No final do ano passado, os prédios que abrigam os Fóruns Trabalhistas de Osasco-SP e Guarujá-SP, ambos pertencentes à área de atuação da Justiça do Trabalho da 2ª Região, foram adquiridos pelo TRT-2.  Na foto abaixo, representantes do TRT-2 e dos proprietários dos imóveis durante a assinatura do contrato.

Anteriormente, os prédios de Osasco e Guarujá estavam alugados respectivamente pelos valores mensais de R$ 71.625,99 e R$ 60.300,78. Com a recente aquisição, o TRT-2 economizará R$ 859.511,90/ano com relação a Osasco e R$ 723.609,40/ano com relação ao Fórum de Guarujá.

Além da economia em dinheiro, outras vantagens são a possibilidade de realização de benfeitorias e melhorias em imóveis próprios e a certeza da continuidade da prestação de serviços no mesmo endereço, uma vez que um contrato de locação pode ser rescindido, obrigando-se a busca por outros prédios e a consequente despesa com mudanças e eventuais adaptações necessárias no novo local.

Durante os estudos para a aquisição dos imóveis, constatou-se que os municípios de Guarujá e Osasco contam com reduzida oferta de imóveis comerciais localizados no centro, ou regiões próximas, nas dimensões e características exigidas pelo Tribunal para a adequada prestação jurisdicional.

Em relação ao aspecto financeiro, a opção de adquirir o imóvel é justificável por ser uma inversão realizada que contribuirá com a redução das despesas correntes e primárias de caráter continuado. Além disso, foi realizada negociação de valores de aluguéis com os proprietários dos demais imóveis ocupados pelo TRT-2, para que com essa economia fosse possível fazer a aquisição dos imóveis de Guarujá e Osasco.

 

 

Serviços oferecidos no portal do TRT-15 foram acessados 35 milhões de vezes durante o ano passado

Os serviços e as informações disponíveis no portal do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região foram acessados 35,063 milhões de vezes durante o ano passado. Advogados, trabalhadores, empregadores, estudantes e outros usuários visitaram, em média, 96 mil páginas por dia entre 1º de janeiro e 31 de dezembro. Considerada apenas a quantidade de visitantes, o site do TRT-15 recebeu 2,611 milhões de usuários diferentes (IPs únicos).

“A grande variedade de serviços oferecidos em nosso portal e o acesso ininterrupto durante as 24 horas do dia fazem com que atualmente o número de visitantes virtuais supere o de pessoas que vão às nossas unidades judiciárias”, destaca a presidente do TRT-15, desembargadora Gisela Rodrigues Magalhães de Araujo e Moraes.

O serviço mais procurado foi o sistema de Processo Judicial Eletrônico, com quase 30% dos acessos (10,130 milhões). Instalado na 15ª Região entre 2012 e 2014, o PJe permite que advogados, procuradores, magistrados e servidores realizem atos processuais de qualquer computador conectado na internet. Por meio dele também é possível que empresas e trabalhadores acompanhem o andamento do processo judicial. Na sequência, aparecem os serviços relacionados à busca de processos, a página de emissão da Certidão Eletrônica de Ações Trabalhistas (CEAT) e o serviço de busca de jurisprudência.

Origem, dispositivos e novo portal

Dos usuários do site do Tribunal, 96% estão localizados no Brasil (2,523 milhões de usuários), sobretudo no interior e no litoral de São Paulo, que sediam as unidades judiciárias da 15ª Região. Na lista com as cinco principais origens do público-alvo aparecem, na sequência, cidadãos vivendo nos Estados Unidos (49.243 usuários), Venezuela (3.964), Portugal (2.450) e Reino Unido (2.366). Entre os visitantes estrangeiros, a página de jurisprudência foi a mais procurada.

Os acessos feitos por celular representaram quase 20% do total. Foram 460.547 pessoas conectadas ao site do TRT-15 por meio de um smartphone. Para atender a essa crescente demanda, o novo Portal da 15ª Região, previsto para ser inaugurado até o final do mês de janeiro, terá um módulo desenvolvido especialmente para acesso via telefone celular.

Podemos lhe ajudar? whatsapp